DESTINOSLIFESTYLE

3 Obrigado(s) e Um Funeral

Obrigado, Obrigado

(ler como a senhora dona Amália, de cabeça para trás, olhos fechados e braços abertos)

Obrigado é pouco. E depois somos reservados. Pessimistas. Eu continuo um tímido que aprendeu a ser extrovertido. A Sara bicho-do-mato é. O mais agradável para nós, de longe, no conceito “blog”, é este ser uma casa virtual. Mas uma casa. Um lar fabricado a 4 mãos, portas abertas às visitas desejadas, muros quando a privacidade for necessária.

Mas compreendemos a necessidade de sair. Nesse sentido, a primeira saída à noite do Welcome ABorges não teria sido possível sem um punhado de amigos e o contributo de algumas entidades.

Obrigado ao “Leão Holandês”, veleiro no qual demos o kick-off oficial, entre as margens do Tejo. Elegante, com uma tripulação impagável e boa música nas colunas graças ao smartphone dum dos marinheiros. Para ele, um bacalhau particular 🙂

Welcome ABorges, Luís Filipe Borges, Sara Santos, leão Holandês, Rio Tejo, premiere, pic, travel

Homem estupefacto com a sorte que o destino lhe ofereceu

Obrigado ao Culto da Imagem que nos ofereceu polaroids para guardar sempre.

Obrigado à Quinta do Rangel, pelos vinhos que aqueceram um início de noite outonal, amenizaram os nervos, e fizeram-me conduzir a 40 kms/hora de regresso a casa.

E já que vou lançado:

Obrigado aos milhares que já visitaram esta casa desde 4ª feira.

António Raminhos, Pedro Fernandes, Nuno Janeiro, Luís Filipe Borges, friends

A few good men

Obrigado pelos comentários, aos amigos pelo mimo, às duas senhoras cabo-verdianas que me abordaram no fim dum espectáculo em Santarém para citar excertos do blog. Ao leitor que achou que tínhamos um monte no Cercal… está errado, mas fez-nos sonhar. Obrigado ao Rio Tejo, que é sucedâneo dos meus Açores, metadona para as minhas ressacas. Aos pais da Sara, porque a fizeram. E aos meus, que torcem tanto por nós e pela casinha virtual, torcendo por amor (sem perceber bem do que isto se trata). Obrigado à Blog Agency pelo desafio.

E finalmente obrigados estamos àquilo que propusemos a nós próprios: estar aqui para nos divertirmos, entretermos e realizarmos. Seguimos ao leme para uma longa travessia. Contamos convosco em cada cais.

 

Recomendo estes destinos:

O estranho mundo de Sara Santos: Pensamentos que exigem compreensão

No nosso Dia D íamos morrendo, eis o porquê

 

Post anterior

Danos colaterais: Um desabafo desenfreado

Post seguinte

Quatro irmãos e uma infância

Luis Borges

Luis Borges

Sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *