LIFESTYLE

7 Coisas que aprendi ao namorar um homem mais velho

O nosso amor tem idade. Fomos separados por uma década e uns trocos. Não posso dizer que é, ou alguma vez foi, um problema para nós. Acredito que nos encontrámos na altura certa. O tema “idade” surge quando falamos de trivialidades mais memoráveis, programas que passaram na televisão ou acontecimentos históricos. Como a queda do muro de Berlim: O Luís estava em casa com os pais, lembra-se de assistir às imagens e ficar marcado. Já eu estava ocupada a nascer.  

Somos duas pessoas que ainda se estão a conhecer, intensas e que tiram lições constantes desta relação. O que aprendi com um homem mais velho?

  1. Com o Luís aprendi que não estou atrasada para nada. Muitas vezes achamos que as decisões que tomamos a entrar nos 20 nos definem para a vida. A escolha de uma carreira, de uma relação ou, no meu caso, de um país. Ele ensinou-me que não é tarde para mudar tudo isto e refazer as minhas escolhas.
  2. Aprendi a saborear vinho de outra forma. De olhos fechados, sobre um bom prato ou um bom livro.
  3. Aprendi a falar sobre os problemas. Eu tinha o hábito de me isolar até ficar calma. O silêncio tornou-se a minha primeira escolha nos arrufos amorosos. Com o Luís aprendi a comunicar, a não adormecer chateada e que mesmo discordando, estamos do mesmo lado.
  4. Aprendi a lutar pelos meus sonhos. O Luís não é o Gustavo Santos, mas também tem destas coisas. Prestes a chegar aos 40, tirou um curso de Direito, escreveu guiões, foi professor e voltou a ser aluno, gravou locuções, escreveu crónicas, livros, apresentou um programa durante 6 anos, fez stand-up, voluntariado, perdeu 25 quilos e voltou a amar (última parte dividimos o crédito). O que me coloca alguma pressão, mas principalmente, mostra-me que devemos arriscar. Quem sabe o que pode acontecer…
  5. Aprendi que não posso dizer “LOL”. O que já deveria saber! Admito que ganhei este guilty habit  há uns anos e a primeira vez que o mencionei com o Luís ouvi um: “Por favor não digas LOL
  6. A não temer palavras como “filhos”, “casamento” ou “sogros”. O medo de um compromisso é algo de que sempre padeci mas o Luís tem uma alma velha que me ensina a fazer planos maiores que eu.
  7. E a minha lição preferida, aprendi que o cavalheirismo não morreu, apenas se tornou mais raro. Que não é uma questão de igualdade de género e que se concentra em outras gerações.  starsonline_49-4925

 Sara Santos

 

Luís Filipe Borges, perder peso, life change, sporty, trintão, pic, LFB, Fábio Augusto
Post anterior

Hate is good

Casino Estoril, 3 é Demais, António Raminhos, Luís Filipe Borges, stand-up comedy, friendship, pic, adidas
Post seguinte

Bromance

Sara Santos

Sara Santos

5 Comments

  1. 14 Novembro, 2016 at 15:00 — Responder

    Humm… tudo muito certo mas… não podes dizer “LOL” porquê? Qual é o problema? A ideia com que fiquei depois de ler o texto é que tu te adaptaste ao facto de estares com uma pessoa 12 anos mais velha do que tu, mas ele não se adaptou ao facto de estar com uma pessoa 12 anos mais nova do que ele. Se calhar era importante ele escrever um texto acerca das 7 (ou mais!) coisas que aprendeu por estar num relacionamento com uma pessoa mais nova.

    • Carlos
      16 Fevereiro, 2017 at 20:44 — Responder

      Tenho 50 e ela 35. São 15 anos entre Nós com 15 de relação estilo namoro eterno mas vivendo separadamente. Ao dia de hoje aprendi muito com ela de que ao contrario. Tem sido uma aprendizagem com muita cabeçada, assumidamente. 15 anos atrás jamais imaginei o que seria o dia de hoje.
      Este Blog está muito interessante. Parabéns ao 2 protagonistas, Luís e Sara

  2. Miguel
    16 Novembro, 2016 at 9:36 — Responder

    Já há uns anos que não se usa dizer LOL, quanto ao texto “dele”, explore o blogue. No post “365 dias” ele diz o quanto tem aprendido…

  3. Margarida Almeida Santos
    16 Novembro, 2016 at 16:55 — Responder

    Gosto da tua escrita, parabéns .
    Fico feliz pela vossa felicidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *