LIFESTYLE

Já sonharam que podiam voar?

Não sejam adultos

Saltos do sofá, idas para a escola, um passeio pela terra do nunca. Se tiveram direito a algum destes sonhos, provavelmente tiveram uma infância feliz. Mas o dia chegou. Onde todos estes sintomas de uma imaginação capaz, são trocados pela realidade adulta, mais triste, onde a criatividade parece não ter lugar.

Sara, já não tens 5 anos! – a frase que mora no meu comportamento.

Isto porque não sei viver num mundo, onde não posso saltar na cama, voar em tapetes, ter palhinhas com metros de voltas brilhantes que saíram um dia nos cereais, fazer da escova um microfone e recusar-me a comer panquecas sem sorrisos de mel, desenhados para meu divertimento.

Em miúdos, acreditamos que os nossos bonecos têm personalidade, as casas da barbie são realmente casas, embora reduzidas e que uma plateia de peluches, é como um coliseu de pé. Acredito que tudo isto se perde porque nos retiram o acesso à imaginação com sinais de “proibido a maiores de 16 anos”. Baloiços: para crianças. Brindes no menu: para crianças. Correr de meias em casa para deslizar até ao quarto? Conseguem perceber para onde isto vai…

Orgulho-me de brincar com os meus sobrinhos, como igual. Chama-me para conhecer o seu mundo imaginário e somos amigos. E se lhe pergunto que idade pensa que tenho, responde rapidamente: 15 tia?

infancia

Martim – o meu sobrinho

Post anterior

Receita de mousse de manga: sem açúcar ou culpa

Post seguinte

Atingimos o 69: O melhor segredo de Lisboa

Sara Santos

Sara Santos

Sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *