LIFESTYLE

Shameless Date: Venham daí essas bochechas (de porco)

A proposta era passar um fim de semana romântico, malandro, até, um verdadeiro shameless date, mas com alguma atenção às refeições – dispensa-se o estilo “9 semanas e meia”. Prova superada, com alguma distinção. 

Restaurante: Cardo
Local: Évora, EcorkHotel.
Pontuação: 55 (máximo de 69)

Ele: Duas pessoas, um banquete a cada 8 dias, o início duma colaboração da mesa até à cama. São milhentas as relações entre comida e sexo, por isso, aguentem-se. O rating dos restaurantes será, obviamente de 0 a 69, e as sub-categorias maliciosas como um Marquês de Sade saído dos Maristas. Ficam avisados.

 

Ela: Um Alentejo que se perde de vista e um namorado que começa a perdê-la. O que pode até dar jeito, depois de uma vista de olhos pelo menu. Opções vegetarianas, produtos locais e entradas como uma Couvert EcorkHotel (sopa de tomate, e saladas de pimentos, bacalhau e polvo). Let the games begin

Ele: Um Pêra-Grave de 2014 faz tudo mais apetitoso. A conversa flui. Dialogamos sobre quais seriam os nossos “free pass”. Lá confesso nomes como Monica Bellucci, Beyoncè, Kate Beckinsale. A Sara diz que “há um rapaz lá no ginásio…”.

Ela: O meu free pass revelou-se mais simples do que a minha escolha para o jantar. O STAFF percebeu a cara com que o Luís olhava para mim durante esta indecisão e levou-me até ao Bacalhau confitado com grelos, batatas e cebolinha. Já ele, foi comprar tabaco e ainda não regressou. Clássicos? Parece que sim.

Turn Off

Estamos a planear as próximas férias, de modo que a demora no atendimento deu jeito. Entre cada passo da refeição marcámos hotel, voos, museus, transfers. Valeu.

Orgasmo Múltiplo

As sobremesas. Houve um tempo em que o chocolate era usado como moeda. O que comemos daria para arrendar aquele palacete de Paço de Arcos. À atenção da Madonna.

Menage à trois

Se só pudéssemos levar para a cama um item deste manjar? Bem, dizem que o porco é o animal mais parecido com o homem. Pese embora tenha um orgasmo com a duração de 30 minutos… Pois foi o que sucedeu ao L., enfim, mercê das bochechas de porco preto confitadas com vinho tinto, migas de espargos e legumes.

Luís e Sara

Podem também ver esta peça na NIT: https://nit.pt/opiniao/restaurante-cardo-venham-dai-bochechas

DAR, ONG, Dreams Are Real, Luís Godinho, Mozambique
Post anterior

HUMOR PARA DAR

Post seguinte

Receita de mousse de manga: sem açúcar ou culpa

Sara Santos

Sara Santos

Sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *