DESTINOSLIFESTYLE

SHAMIR INOTIME

ou quando Corporate se torna Friendship

 

Os artistas de variedades, como este vosso que abaixo assina, gostam de se referir às actuações para empresas como ‘eventos corporate’. Porquê? Soa cool e vai-nos afastando precisamente desse epíteto das variedades, tão comum. Real, e sincero, tal como se praticava nos anos 80.

Regra geral, mesmo que os eventos sejam simpáticos e benfazejos, essas oportunidades também costumam ser catalogadas – à boca pequena – como “take the money and run”. Por isso tudo é de salientar quando um ‘gig’ empresarial se transforma, espontânea e naturalmente, no princípio duma bela amizade.  Para citar descaradamente a deixa final do clássico “Casablanca”.

Por partes: os laboratórios Shamir, com grande fábrica nas imediações de Vila do Conde e outra mais pequena no Parque das Nações, são uma multinacional israelita. Só cá no burgo produz 3 milhões de lentes por ano. Não, os portugueses não partem assim tantos óculos, os funcionários nacionais é que são espantosos porque estas toneladas de lentes são exportadas um pouco para todo o lado.

Já INOTIME é a patente revolucionária que desenvolveram. E que garante, nada mais nada menos, do que as suas lentes novinhas em folha prontas num prazo máximo de 3 horas. Sim, que nisto da óptica ainda vivíamos numa era antiga – como no tempo das máquinas com rolo. Lembram-se? Em que íamos revelá-lo, e a espera pelas fotos dava para reorganizar a vida toda durante um retiro tibetano.

Business turns to pleasure

Ora recebido o convite para um evento da marca no Congresso Nacional da Indústria Óptica não estava à espera de amor à primeira vista. Mas, lá está, a vida é o que acontece enquanto fazemos outros planos. Por acaso tive logo um bom feeling quando soube que os outros convidados eram a Joana Cruz e o Ricardo Carriço. Isto é, sem fazer a mais pequena ideia, a boa gente da Shamir escolheu um trio de pessoas que se conhece (e se gosta).

Dois dias antes da data fui conhecer as instalações de Lx. No espaço de 60 minutos, e enquanto conhecia a história da empresa, visitava a fábrica, ouvia os detalhes da tecnologia revolucionária e curiosidades que me fizeram desejar enviar o CV (como o gym e piscina incluídos na fábrica nortenha ou as visitas a Israel), a minha graduação foi tirada e as lentes feitas. Uma hora. Acrescentar aqui emoji de espanto, outro de alegria histérica e finalmente três seguidos de palmas.

E agora?

Qual a grande dificuldade agora? Convencer o mercado de que o século XXI chegou também a esta área. Segundo me contaram a Cristina e o António, há ópticas com lentes Shamir Inotime, prontas em três horas, que dizem aos clientes para voltar em dois dias… Com receio de que estes pensem que o material foi feito às três pancadas.

Portanto, fofinhos consumidores com dúvidas, vamos lá a ver se percebo… Vocês têm comunicação instantânea no telemóvel, netflix onde quiserem, seria para vós impensável esperar hoje em dia pela revelação de fotografias, mas pela armação com lentes não se importam de voltar na semana seguinte?!

Wake up and smell the coffee, peeps. Os tempos mudaram. Agora se me dão licença vou visitar os meus novos amigos. Ah, e despachar as lentes da Sara – entre dois dedos de conversa e meia dúzia de gargalhadas.

Luís

leroy merlin, melom, logic, livro de reclamações, péssimo serviço, mau atendimento
Post anterior

Livro Público de Reclamações: Leroy Merlin

Post seguinte

Ondjaki ainda mora aqui

Luis Borges

Luis Borges

Sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *