LIFESTYLE

Tudo o que eu te DOTE

Shameless Date, Welcome a Borges p/ NiT

O casal sem vergonha foi jantar ao Dote com intenção de degustar uma bela comida de conforto. Acabou por se tornar ligeiramente pornográfico.

O date desta semana foi invulgar. Jantámos em trio (acalmai as mentes perversas, oh sáchavôr). Para matar saudades duma grande amiga, na verdade espécie de mãe adoptiva deste escriba, convidámos a Luísa Castel-Branco para se juntar ao repasto. E qual a mesa perfeita para um encontro onde se espera pôr a conversa em dia, sem relógio nem barreiras? Comfort food. O que não esperava era que esta acabasse a transformar-se em food porn.

Restaurante: Dote
Local: Lisboa, Avenida da República
Preço médio (2 pessoas): 20
Rating: 68 (de 0 a 69)

Ela: O Dote tem um mood de route 66, misturada com a elegância dos anos 20. Sofás confortáveis, comida fantástica e a Mónica. A empregada de mesa que nos acompanhou, guiou e apresentou a alma do restaurante. A diferença entre um bom jantar e um local a voltar está em pessoas assim — dedicadas.

Ele: A entrada em modo enchidos suculentos e queijos agradecidos pela companhia lançou o diálogo familiar, as sardinhas da vazia seriam bem-vindas numa casa conservadora dum digníssimo bonus pater, o bacalhau à Brás subiu, insinuante, o nível de picante, as francesinhas já começaram a pedir bolinha vermelha no canto… e as ribs, meu Deus, as pork ribs à americana, já foram mais pornográficas que a hora de fecho no Elefante Branco.

Atentem neste presuntinho.

Ela: O Luís fica 90% do tempo concentrado nos pratos, outros 10% no jogo que passa mesmo em cima da minha cabeça. Senhoras, um pequeno aviso: Não cometam o erro de os deixarem ficar de frente para a televisão. São como miúdos de 5 anos quando os Caricas se vestem de pinguins (não sei porque tenho esta informação). Eu e a Luísa poderíamos planear saquear o banco de Portugal, que o Luís ficaria na mesma, com marcas de ribs algures na camisola.

Ribs fumadas durante 16 horas, senhores (13,50€).

Ele: Junte-se a isto o ambiente acolhedor, a iluminação aprazível, um atendimento a toda a prova, o vinho perfeito e esgotam-se os adjectivos do dicionário. Saímos do DOTE felizes como bebés a caminho do baptizado e vamos a rebolar até ao Marquês.

Ela: Conseguimos conversar, petiscar, enfardar e tantos outros “ar´s” que não cabem nesta crítica. Este é um Dote que não fica inultimente preso no canto da televisão, não presenteia o marido no dia do casório, mas sim um local dotado de talento para receber.

 

Ménage a Trois

Carne maturada. Qualquer refeição que implique um cuidado prévio de dias a fio, como um paraíso com capataz, é um ensaio filosófico contra as rapidinhas. Pratiquem o tântrico, amigos. É coisa para levar à perda do emprego e extinção da vida social, mas que se lixe.

Orgasmo múltiplo

Brownie com espuma de caramelo salgado, gengibre cristalizado e crumble de chocolate. Repetir 3 vezes como um mantra e logo se abrirá um portal para um mundo multicolor de unicórnios sorridentes e ninfas maquilhadas com nutella.

Turn off

A sensação clara, ao sair do DOTE, que na manhã seguinte será urgente ir ao banco pedir crédito ao consumo para poder investir num Personal Trainer sádico.

Sony Awards, Luís Godinho, DAR, Dreams Are Real
Post anterior

Contra o Cinismo, Marchar Marchar

Fitness Hut, Rui Falé, Sara Santos
Post seguinte

Road to the Wedding

Luis Borges

Luis Borges

Sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *